O seu carrinho

Your cart is currently empty!

Continue shopping

Cart total : €0,00


Der sterne! As estrelas da feira...

Mar 17 , 2015

Der sterne! As estrelas da feira...

Com o mundo do vinho concentrado numa das maiores feiras do planeta, a tarefa de selecionar este ou aquele destaque tem muito de aleatória. Os números falam por si e a diversidade de stands, provas e apresentações, daria para manter uma roda de apreciadores entretidos durante… meses! Daí assumirmos a nossa particular perspetiva, nesta tentativa de proporcionar ao leitor um condensado ProWein 2015.

Ora, se há produto transversal ao vinho e que atrai atenções de todos os quadrantes, é a rolha. E a forte aposta do líder da cortiça no vedante Helix, ainda que não seja novidade absoluta, continua a ser cabeça de cartaz num evento como a grande feira alemã. Na prática, é a resposta da cortiça aos vedantes “screw cap”, dispensando o saca-rolhas graças à sua concepção em formato de rosca. A composição de aglomerado de cortiça assegura, garante o fabricante, os benefícios da cortiça na conservação do vinho.

A fiar na presente edição da ProWein, esta aposta “made in Portugal” é suficientemente inovadora para atrair a atenção de profissionais e amadores, confirmando-se como um dos destaques da feira. Protagonismo sublinhado pelos produtores que já adotaram o formato Helix, como o produtor de vinho orgânico da Toscânia, Castellani, o gaulês Val d`Orbieu que utiliza a nova rolha na sua Cuvée Mythique e, claro, a adega alentejana Ervideira que foi a primeira a utilizar essa solução em dois dos seus vinhos: o “S de Sol" e o "Lusitano". Foram, salvo erro, as duas primeiras marcas, a nível mundial, a utilizar o produto.

A seguir na lista, que nos perdoem “nuestros hermanos”, não podíamos deixar de destacar um dos motivos das conversas e sussurros ibéricos em Dusseldórfia: a presença da riojana LAN no espaço da portuguesíssima Sogrape. Nada mais natural mas, quiçá por ser o primeiro ano em que o Consejo Regulador de Rioja investiu num espaço coletivo, congregando mais de uma centena de adegas para projetar na feira uma imagem integrada da região, quiçá por isso o interesse despertado no Hall 10 pela presença do Crianza, Marques de Burgos e companhia, ao lado dos Ferreirinhas, Gazelas e Finca Flichman…

Interesse apenas superado pela satisfação do maior grupo nacional com a performance do seu braço espanhol. O WineWorld sabe que as Bodegas LAN se tem revelado a mais bem sucedida aposta internacional da Sogrape, registando um crescimento no país vizinho e vendas globais bastante acima das expetativas. Além da sede na região de Rioja (o nome LAN é um acrónimo com as iniciais das 3 províncias que compõem a DOC Rioja - Logroño, Álava e Navarra), a empresa conta no seu portfolio com vinhos das Rias Baixas (Santiago Ruiz) e, desde 2010, deRueda (Duquesa de Valladolid) e Ribera del Duero (Marqués de Burgos). O LAN Crianza é o rótulo bandeira da casa, um varietal Tempranillo de boa relação qualidade/preço (cerca de 7 euros) que assegura mais de 50% das vendas.

E se da representação portuguesa na ProWein já aqui assinalamos a presença recorde de 333 empresas e entidades, é justo situar do lado espanhol uma das iniciativas de maior destaque na Alemanha: o projeto Viticultura de Precisão, apresentado na ProWein pelo consórcio riojano Araex. Tratando-se de uma feira de caracter comercial, não temos dúvida que esta faceta científica, por assim dizer mais séria, está entre as mais interessantes para os produtores (e não só) presentes na feira.

Tirando o lado promocional, leia-se o aproveitamento da etiqueta ecológica, trata-se de um amplo estudo desenvolvido desde há 4 anos no país vizinho, para perceber e reduzir o impacto das alterações climáticas no vinho. Um vasto consórcio de adegas espanholas intitulado Cenit-Demeter desenhou mapas dos vinhedos, segundo o tipo, origem e profundidade dos solos, permitindo às adegas determinar as variedades e enxertos mais adequados a cada parcela, assim como as necessidades nutricionais dessas vinhas.

Claro está, sob esse guarda-chuva a Araex promove também em Dusseldórfia o “Instituto Español del Vino de Calidad”, associação que agrupa uma dúzia de adegas independentes, unidas pela cultura, promoção e desenvolvimento do vinho.

À escala espanhola, agrupamento idêntico ao Primum Familiae Vini, onde se integra o grupo Symington. Ao lado de nomes como Pol Roger, Antinori, Hugel, Joseph Drouhin e Torres, é sempre uma presença que não deixa o visitante indiferente. No caso da família sediada no Porto, a marca Grahams exibe na Alemanha a rara (e cara…) garrafa Ne Oublie, um Porto de 1882 e outra das atrações da feira, a par do lançamento do Tawny “Single Harvest” de 1972 e da prova de algumas garrafas do Quinta dos Malvedos Vintage 1965.

Loading
Thank you for signing up!
English
English