O seu carrinho

O seu carrinho de compras está neste momento vazio.

Continuar a Comprar

Total do carrinho €0,00


Beber para criar?

Jan 04 , 2018

Beber para criar?

“Bebe álcool? Claro, eu acabei de dizer que sou escritor…”- a resposta é de Stephen King, um famoso escritor americano de livros de terror e ficção. Se à primeira vista pode parecer uma resposta disparatada, a verdade é que um recente estudo realizado por cientistas austríacos vem demonstrar exactamente o contrário.

Os resultados deste estudo apontam para que um copo de vinho ou de cerveja ajuda a estimular a criatividade.

Escritor = consumidor de álcool?

Segundo Mathias Benedek, o cientista responsável por este estudo, a tendência que os escritores têm para consumirem bebidas alcoólicas é clara: “É possível verificar em pesquisas anteriores que metade dos grandes escritores tinha um historial de bebida. De facto, uma pequena bebida pode ajudar certos aspectos da criatividade”.

Mas se por um lado aumenta a criatividade, por outro pode afectar a capacidade de concentração. Por este motivo esta técnica pode não ser a ideal para todas as pessoas, sendo mais recomendada para os criativos: “Pode resultar bem para alguém que está sentado a fazer escrita criativa ou numa reunião de brainstorming”, sugere o cientista.

Como se chegou a esta conclusão?

De um grupo de participantes voluntários, seleccionou-se metade, a quem foram dadas garrafas de cerveja (com álcool), enquanto à outra metade se distribuíram cervejas sem álcool, mas sem que os participantes soubessem desta distinção.

Depois de as beberem, realizaram-se com os dois grupos jogos de associação de palavras: eram dadas três palavras (por exemplo “Suíço, azul e bolo”) e os participantes tinham de adivinhar a palavra relacionada com as mesmas. O grupo daqueles que tinham consumido cerveja com álcool teve sempre mais pessoas a chegar à resposta certa.

Para além disso, o grupo dos consumidores de bebidas alcoólicas também se destacou noutra tarefa de pensamento criativo, em que os participantes tinham de dar um uso alternativo para um pneu. A resposta mais criativa veio novamente do grupo dos que consumiram álcool.

Menos controlo cognitivo 

Este estudo também revelou que, na sequência do que já foi apontado anteriormente, aqueles que consumiram cerveja com álcool tinham menor capacidade de concentração e controlo cognitivo...

Para Benedek há duas teorias de como isto funciona: “A primeira é a de que quando se está muito concentrado a resolver um problema, a mente pode fixar-se excessivamente numa determinada forma de o abordar, ficando presa. O álcool faz com que seja mais difícil lembrarmo-nos de todos os parâmetros de uma tarefa, mas, em alternativa, isso pode ajudar olhar para ela de uma outra perspectiva”.

A segunda teoria assenta na ideia de que “o álcool nos distrai da tarefa central”, mas que tal nos ajuda a “encontrar soluções alternativas”.

A carregar
Obrigado por subscrever!